Destaque Política

Legislativas 2024: AD vence na CIM Douro em noite de crescimento do Chega

Com a contagem de votos encerrada, no território da CIM Douro, a AD (Aliança Democrática) venceu em 14 dos 19 concelhos enquanto o PS (Partido Socialista) garantiu a vitória nos restantes cinco. Da noite eleitoral fica ainda o resultado histórico do Chega que garantiu o terceiro lugar em todos os concelhos.

Já passava das 11 da noite quando a última contagem foi fechada nas mesas de voto da CIM Douro confirmando a vitória da coligação nos quatro círculos eleitorais que abrangem o território, um resultado oposto ao registado em 2022 quando foi o Partido Socialista a vencer em todos eles.

Olhando para os números da noite mais pormenorizadamente, o melhor resultado da AD registou-se em Sernancelhe com 60,11% dos votos sendo também este o concelho onde PS (15,52%) e Chega (14,32%) registaram o seu pior resultado na região.

Para o Partido Socialista o melhor resultado foi registado em Santa Marta de Penaguião, com 39,48% dos votos, enquanto o partido liderado por André Ventura (Chega), obteve a sua votação mais elevada em Tarouca (22,52%). Freixo de Espada à Cinta foi o concelho onde a AD registou a pior votação ficando pelos 32,45%.

Transformando os votos em deputados eleitos, nos quatro distritos que abrangem o território da CIM Douro (Bragança, Guarda, Viseu e Vila Real), a AD elege oito deputados, mais um que o PS (7) e o dobro do Chega (4), que assim elege pela primeira vez na região.

Um dos destaques da noite eleitoral foi também a descida dos números da abstenção com 58,99% da população duriense a deslocar-se às urnas para exercer o seu direito. A taxa de abstenção mais baixa na região foi registada em Sernancelhe (28,98%) e a mais alta em Vila Nova de Foz Côa (47,09%), sendo a média na região de 41,01%.

AD sobe e PS cai entre eleições

Num comparativo com as eleições Legislativas de 2022 é notória a inversão no número de concelhos ganhos entre AD e PS. Se neste ato eleitoral a AD conquistou 14 concelhos e o PS cinco, em 2022 foi o PS a sorrir em precisamente 14 municípios, contra os cinco do PSD, que nessa eleição concorreu sozinho.

Olhando para o número de deputados, a AD conseguiu igualar o número de deputados eleitos pelo PSD em 2022, já o PS baixou dos 11 para os sete. Nesta contabilidade temos agora também o Chega que conquistou quatro lugares no Parlamento, 2 em Viseu e 1 em Vila Real e Guarda.

Analisando os resultados totais dos dois partidos mais votados nestas eleições, por distrito, percebemos que entre 2022 e 2024,o PSD (agora AD) apenas aumentou a votação (por percentagem) na Guarda passando de 33,52% (2022) para 34,12% (2024). Nos restantes três distritos a coligação de direita perdeu percentagem, contudo sempre valores residuais (Bragança 40,28% - 40,01%; Vila Real 40,01% - 39,33%; Viseu 36,81% - 36,36%).

No caso do Partido Socialista a diferença entre os dois atos eleitorais é bem mais expressiva com quedas superiores em todos os distritos superiores a 10%, sendo a maior em Viseu, 14,10% (Bragança 40,30% - 29,64%; Guarda 45,10% - 31,88%; Vila Real 41,29% - 29,60%; Viseu 41,55% - 27,45%).

Chega em crescimento

Depois de em 2022 não ter conseguido atingir os 10% em nenhum dos 19 concelhos da CIM Douro, no ato eleitoral de 10 de março o partido de André Ventura superou os 20% em sete concelhos ficando sempre acima dos 15% na quase totalidade dos restantes com exceção de Sernancelhe onde conseguiu apenas 14,32%, um resultado que espelha também o mais pequeno crescimento na região, apenas 7,27% (7,05% em 2022 – 14,32% em 2024).

No sobe e desce entre eleições o Chega superou o anterior resultado em todos os concelhos por margens superiores a 10% com exceção de Sernancelhe como já analisamos e Torre de Moncorvo onde o crescimento foi de apenas 8,71%.

O maior crescimento do Chega aconteceu em Tabuaço com o partido a crescer 14,90%, passando de 7,54% em 2022 para 22,44% neste ato eleitoral.

O Fenómeno AD(N)

Mesmo sem estar anunciado o problema parecia estar criado com as siglas da Aliança Democrática (AD) e a Alternativa Democrática Nacional (ADN), contudo nada parecia ser mais inocente até à hora de abrirem as urnas.

Os diversos pedidos que foram sendo feitos às mesas para a troca de boletins de voto incorretamente preenchidos começou a ganhar escala e durante a hora de almoço as notícias começaram a circular dando conta da possível surpresa que poderia acontecer com os resultados do ADN.

Fechada a contagem dos votos, a nível nacional o partido liderado por Bruno Fialho superou os 100 mil votos (tendo desde logo direito a uma subvenção superior a 300 mil euros). Nos quatro distritos que abrangem o território da CIM Douro, o ADN arrecadou 13.341 votos, com destaque para Viseu com 6.615 votos, representando 3,13% da votação total.

Numa análise por concelho podemos verificar que o melhor resultado do ADN aconteceu em São João da Pesqueira, com 4,55% dos votos. Em oposição, foi em Torre de Moncorvo que o partido de Bruno Fialho registou o pior resultado, 1,65%.

 

Últimas Notícias

Festas em honra de S. Torcato em Cabaços

12/04/2024

Festival de Poesia e Música de Foz Côa celebra 40 anos e comemora os 50 anos de 25 de abril

12/04/2024

Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola regressa pelo 11ª ano consecutivo

12/04/2024

Autarquia reguense organiza caminhada noturna da liberdade

11/04/2024

Quinta do Pessegueiro volta a abrir portas para visitas ao público com novidades nos roteiros e provas

11/04/2024

Sabrosa recebeu sessão de esclarecimento dirigida aos Viticultores

9/04/2024

ACANIV encerra comemorações do 95º Aniversário do 140 Lamego

9/04/2024

Escola de Hotelaria e Turismo do Douro - Lamego abre as portas a toda a comunidade para a Open Week 2024

9/04/2024