Sabrosa Sociedade

Investimento de meio milhão de euros dá “cara nova” a Celeirós do Douro

A obra de requalificação e regeneração urbana da aldeia vinhateira de Celeirós do Douro, designada “Mobilidade urbana sustentável - interface da aldeia vinhateira de Celeirós do Douro", foi desenvolvida em três fases tendo agora sido concluída.

Após a primeira intervenção levada a cabo pela ADIN – Águas do Interior Norte, com vista à substituição da rede de abastecimento de águas, e a segunda da autarquia, direcionada para as infraestruturas de águas pluviais, eletricidade, iluminação pública e telecomunicações, terminou agora a terceira fase com a regularização dos arruamentos.

Da responsabilidade da autarquia, esta intervenção permitiu melhores condições de mobilidade, sobretudo na redefinição das áreas pedonais e de paragem para autocarros e táxis, aumentando assim a mobilidade na aldeia.           

“Com a obra agora terminada, salvaguardou-se uma imagem global do conjunto urbano de Celeirós do Douro, sendo que foram acrescentados alguns pormenores de ordem paisagística e mobiliário urbano necessário à fruição do espaço, assim como, requalificadas várias ruas e travessas da aldeia”, afirmou a autarca sabrosense, Helena Lapa.

Para Sérgio Gonçalves, Presidente da Junta de Freguesia local, esta era uma obra necessária, não só para a melhoria de vida dos seus fregueses, como para o crescente número de turistas que visitam a aldeia.

“A estrada que tínhamos e as condições que existiam obrigavam a uma intervenção destas. Numa aldeia que tem muito movimento turístico e das pessoas no seu dia a dia, os acessos têm que ter maior qualidade, foi o que conseguimos agora e toda a gente reconhece isso.

A aldeia está mais bonita, temos casas brasonadas que ganharão ainda mais encanto com o desaparecimento dos fios que estão pendurados nos postes. Além da necessidade, esta obra trouxe ainda mais beleza à nossa aldeia”.

Sérgio Gonçalves - Presidente da J. F. de Celeirós

O autarca acredita ainda que depois deste investimento público também os privados terão mais disponibilidade para cuidar dos seus espaços, servindo ainda de incentivo para potenciais investidores.

Acredito que este tipo de intervenções influencia sempre o sentimento de orgulho que as pessoas têm na sua terra, e isto pode levar a que também elas cuidem das suas casas tornando assim toda a envolvência mais agradável.

“Temos vários imóveis que estão abandonados, mas também têm surgido algumas pessoas interessadas, seja para habitação seja para rentabilizar turisticamente, com uma obra destas essa procura pode aumentar ainda mais porque a aldeia ficou mais atrativa visualmente”.

A cargo da Junta de Freguesia ficaram dois investimentos consideráveis, a recuperação da capela, “que será inaugurada em breve”, e a construção dos sanitários públicos, “um investimento também muito necessário, em especial em dias de festa na aldeia”.

Últimas Notícias

Mercado Local de Produtos da Terra arranca no próximo mês de maio

16/04/2024

UTAD regista aumento de 75% nos alunos internacionais candidatos ao próximo ano letivo

16/04/2024

Câmara de Lamego beneficia relvado do Estádio dos Remédios

15/04/2024

Festas em honra de S. Torcato em Cabaços

12/04/2024

Festival de Poesia e Música de Foz Côa celebra 40 anos e comemora os 50 anos de 25 de abril

12/04/2024

Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola regressa pelo 11ª ano consecutivo

12/04/2024

Autarquia reguense organiza caminhada noturna da liberdade

11/04/2024

Quinta do Pessegueiro volta a abrir portas para visitas ao público com novidades nos roteiros e provas

11/04/2024